Recesso parlamentar: uma vergonha que nenhum político tem coragem de combater


Ninguém apareceu na última sessão do Senado

Desde o dia 18 de julho que os senadores, deputados federais e boa parte dos parlamentares que atuam nos estados e municípios estão com suas atividades paralisadas por causa do recesso parlamentar. Por causa desse recesso, os políticos brasileiros param de trabalhar duas vezes ao ano.

Assim como os estudantes, os políticos têm férias no verão e no inverno. E em ano de eleições, como o próximo, o recesso de julho será apenas o começo de um longo período em que as casas legislativas ficarão vazias. Como os parlamentares não são punidos por faltarem ao trabalho, eles passam boa parte do tempo em que deveriam estar trabalhando fazendo campanha eleitoral no chamado “recesso branco”. Enquanto isso, os interesses da Nação que se danem.

Apesar de ser uma afronta ao trabalhador comum, ao pai de família que precisa trabalhar o ano todo e quando chega o momento de gozar suas férias se vê obrigado a vendê-las para saldar dívidas da família, o recesso parlamentar infelizmente é legal e constitucional.

Isso mesmo. A Constituição Federal prevê dois períodos de suspensão dos trabalhos legislativos: de 23 de dezembro a 1º de fevereiro e de 17 a 31 de julho. É o chamado recesso parlamentar. Esses períodos que são estabelecidos no artigo 57 da Lei Maior, já foram mais extensos. Até 2006, antes da promulgação da Emenda Constitucional 50, deputados e senadores tinham direito a 90 dias de recesso. Felizmente com essa emenda o recesso foi diminuído para os atuais 52 dias.

É certo que os nobres parlamentares perderam uma ótima oportunidade de fazer as pazes com o povo e acabar com essa vergonha, reduzindo suas férias para um único período ao ano como todo cidadão, mas preferiram continuar gozando das mordomias e dos privilégios do cargo.

Neste ano o recesso parlamentar teve início no dia 18, porque o último dia de atividades parlamentares do semestre caiu em um dia de domingo. Só que a sessão não-deliberativa acabou não acontecendo por falta de parlamentar.

Desesperados para iniciar o período de folga – pois trabalham em demasia no Congresso Nacional – nenhum Senador assinalou presença na última sessão plenária do semestre que estava marcada para as 14h de segunda-feira, dia 18. Nem mesmo os chamados “éticos”, que vivem enchendo o saco da presidência, como Aécio Neves, Álvaro Dias, Mário Couto, ACM Neto e tantos outros que se apresentam como paladinos da moralidade, mas no fundo são todos vinho da mesma pipa, farinha do mesmo saco, enganadores do povo.

O triste em tudo isso é que o povo assiste essa vergonha toda e não toma nenhuma atitude. Quando chegam as eleições, votam nos mesmos políticos envolvidos em falcatruas, com ficha suja, devolvendo o poder a políticos corruptos, muitos dos quais cassados por práticas de corrupção.

Infelizmente alguns políticos brasileiros tinham mesmo é que ser vaiados e xingados quando vistos nas ruas, restaurantes, aviões, bancos, praias, shoppings, enfim, em todo e qualquer lugar do planeta. Só com a união do povo brasileiro contra políticos safados, será possível ao país conseguir resultados positivos.

A bem da verdade, políticos brasileiros pouca falta fazem ao país. Estando ou não no plenário, o resultado é sempre o mesmo, pois só legislam em causa própria. Se a sessão do dia 18 fosse para aumentar os próprios salários, certamente todos estariam presentes.

De acordo com a CLT (Consolidação da Leis do Trabalho), funcionário que falta ao trabalho tem o dia descontado, com reflexo no repouso remunerado, e férias são de 30 dias por ano. Na Constituição Federal está consignado que todos são iguais perante a lei. Com certeza o caro leitor perguntará: que lei é essa? Onde está a igualdade? Infelizmente não tenho a resposta. Também a procuro em vão.

A única esperança é de que em um desses tantos recessos parlamentares, alguém feche as portas e só abra quando aparecer políticos idôneos, comprometidos com a causa do país, interessados em encontrar uma solução para o país, sem legislar em causa própria. Políticos que respeitem o povo e que cumpram com suas promessas de campanhas milionárias.

Comentários

Mirella Marcelino disse…
São todos vagabundos, desocupados. Queria ver se eles tivesse que pegar no cabo da enxada o dia todo como a maioria dos pais de família.
Geraldo Magela disse…
Se fechar o congresso nacional hoje não fará falta nenhuma para ninguém esses indivíduos que só sabem consumir o dinheiro do povo.
Bia Nunes disse…
O recesso é um direito de nossos deputados que tanto fazem por nós. Naum vejo nada de errado nisso. Vocês da imprensa só sabe meter o pau. Parece que tem inveja dos deputados...
Roberto Bolaños disse…
Deviam era fechar de vez o congresso e colocar na rua esse bando de desocupados, enganadores do povo, que não servem para nada, a não ser para dar prejuízos para a nação.
Mirella Marcelino disse…
Cara Bia Nunes, se você gosta tanto assim dos deputados, porque não leva para sua casa?
CECI MARIA disse…
NADA A HAVER, ISSO É TUDO PERCEGUISÃO COM OS NOSSOS POLÍTICOS. TUDO INVEJA...