Ditadores de Cuba, a mais antiga filial do inferno, continuam massacrando o povo


Fidel Castro, a encarnação do Diabo

Cuba, conhecida filial do inferno, que alguns teimam em chamar de país, continua sendo palco de absurdos contra a população desnutrida, medrosa, que não tem direito sequer de ter opinião própria.

A última notícia relacionada àquele país de ditadores covardes, informa que um grupo de defesa dos direitos humanos denunciou que em 2.011 o número de detenções temporárias por motivos políticos dobrou, passando de quatro mil.

Segundo a CCDHRN (Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional), classificada como ilegal pelo governo, mas tolerada, o número representa um recorde para as três últimas décadas.

As detenções, segundo boletim da comissão, costumam ser curtas – duram horas e às vezes dias – mas são ferramenta do regime castrista para coibir as manifestações públicas, mesmo porque há suspeita de no período das prisões, as pessoas sofrem torturas físicas e psicológicas.

Povo fugindo do inferno chamado Cuba
O governo ditatorial continua a criminalizar o exercício dos direitos civis, políticos, econômicos e culturais. Muitos dos que discordam dos desmandos de Fidel Castro e sua corja são presos, espancados e execrados em praça pública. Naquele país o povo é maltratado e vive subjugado pelos irmãos Castro e sua tropa de bandidos fardados, prontos para saciar sua sede de sangue por meio de torturas.

O povo cubano é sofrido, mal tem o que comer, pois vive em constante racionamento de comida, enquanto Fidel Castro e seu irmão Raul, a quem passou o poder de massacrar o povo, vivem na mordomia, usufruindo de dólares deixados no país por turistas que são bem recebidos e tratados com toda pompa.

Aliás, alguns turistas, por desconhecer a realidade do país, retornam de suas viagens elogiando Cuba, criando uma falsa imagem de que naquele país o povo vive bem e tem o apoio governamental.

Ao contrário, todo cubano sonha um dia sair daquele país. Muitos inclusive arriscam até a vida tentando atravessar o mar, para se ver livre de um país que é considerado a sucursal do inferno, tendo Fidel Castro como Lúcifer e seu irmão, como auxiliar direto.

No Brasil existem tolos, poucos, é verdade, que ainda elogiam o modo de governo de Cuba. Alguns chegam a dizer que lá o gari e o médico ganham o mesmo salário, e falam como se isso fosse algo benéfico. Outros insistem no mito de que Cuba tem a medicina mais avançada do mundo, dentre outras babaquices.

Na maioria dos casos são pessoas atrasadas, que cultivam a idéia retrógada de revolução, ou político desinformado. Cuba é o pior lugar do mundo para se viver e todo cubano daria a vida para se ver livre dos domínios de Fidel Castro e sua corja de torturadores. Salário único não é mérito, mas desrespeito à capacidade do cidadão.

Infelizmente o povo cubano é fraco, não tem coragem de reagir a décadas de desmandos. Enquanto em todo mundo as pessoas estão se rebelando contra a tirania dos ditadores, em Cuba o povo continua aceitando passivamente o domínio de Fidel e Raul Castro, dois lixos da humanidade, que mais cedo ou mais tarde serão destituídos do poder.

Os Estados Unidos, que sempre se intrometem nos assuntos internos de países produtores de petróleo sob alegação de defesa dos direitos humanos, são vizinhos de Cuba, conhecem o sofrimento pelo qual passa aquele povo, e nada fazem. E não fazem, porque Cuba não é país produtor de nada, a não ser de bananas. Se fosse petróleo, já teria sido invadido há décadas.


Comentários

OZEIAS REZENDE disse…
Cuba vem se tornando uma base de apoio para idealizadores de uma ditadura que já não encontra mais espaço na atualidade, como é o caso do opressor MAHMOUD AHMADINEJAD, do Irã, dentre outros, boa matéria!