Barra de São Francisco pode trocar o Jingle Bell pela Marcha Fúnebre

Texto: Elvécio Andrade

Chegou o mês de dezembro, considerado o mês mais bonito, mais alegre e mais colorido do
A cidade sempre teve enfeites
no Natal (Foto: Site Barra)
ano em virtude dos enfeites natalinos. Nesse mês, todas as residências exibem enfeites, cada um mais bonito e mais criativo que o outro. Nesse mês também a criançada fica mais eufórica e ansiosa pela chegada do Papai Noel com seu saco de presentes nas costas.

Mas não são somente as crianças que são tomadas pela ansiedade. Também os comerciantes, pois nesse mês apostam nas promoções, no aumento das vendas para cumprir com seus compromissos comerciais e, principalmente, pagar o 13º salário de seus funcionários.

Essa euforia geral se espalha pelo mundo. Afinal, o bom velhinho, que invade sua casa pela chaminé para encher de alegria os corações das pessoas, sempre aparece. Não importa se a pessoa é rica ou pobre, boa ou má, prepotente ou não, solteira ou casada, nova ou velha. O espírito do Natal sempre toma conta de todos.

Alguns que se fazem de durões podem até nem demonstrar. Mas no fundo de suas almas, por mais que tentem mostrar o contrário, instalado está esse espírito natalino que faz com que a pessoa se ponha a cantar até sem sentir, as belas e tradicionais músicas natalinas, inclusive "Então é Natal”, música interpretada por Simone.

Infelizmente existe uma cidade que ainda não foi tomada pelo espírito natalino. Trata-se de Barra de São Francisco/ES. Não há até o momento nenhum indicativo de que a cidade receberá os tradicionais enfeites de Natal, a exemplo do que ocorria em todas as administrações anteriores.

Talvez por causa da administração apática do município, que em um ano ainda não conseguiu mostrar a que veio, o desânimo tomou conta da população. Basta andar pela cidade à noite para verificar que poucas residências estão enfeitadas para comemorar o Natal. Parece que a desesperança está engolindo o espírito natalino de forma voraz.

O marasmo da atual administração, que em doze meses ainda não conseguiu solucionar problemas simples como o caos na saúde instalado depois da posse do atual prefeito, problemas enfrentados pelo homem do campo, abandono de praças e ruas dos bairros e distritos do município, não pagamento de rescisões salariais de servidores exonerados com o final da administração passada, dentre outras, parece ter afetado a população, que passa a impressão de não ter nenhuma esperança no futuro.

Em administrações passadas nunca ninguém deixou de enfeitar a cidade para o Natal, incentivando as pessoas a comprar, fortalecendo o comércio. Na administração de Enivaldo dos Anjos, que ainda não foi superada por nenhuma outra, além dos enfeites natalinos, na noite de Natal era oferecida uma ceia tropical na Praça Central, com distribuição de frutas variadas, como abacaxis, laranjas, maçãs e várias outras. Tinha também as cantatas de Natal com corais formados por alunos das escolas locais.

Mesmo sem a ceia tropical, marca registrada da administração Enivaldo dos Anjos, e sem as cantatas com corais escolares, os demais administradores seguiram comemorando o Natal, enfeitando a cidade, beneficiando o comércio e incentivando as pessoas a sair de suas casas para encontrar os amigos, se divertir e também para comprar presentes para familiares.

Mas, com os tempos difíceis que se abateram sobre a cidade, e com a ameaça de uma nuvem negra que avança cada vez mais veloz no horizonte, corre-se o risco de Barra de São Francisco ter o seu primeiro Natal sem cores, e trocar o Jingle Bell pela marcha fúnebre.

Comentários