Município sofre com abandono e prefeito comemora aumento na venda de medicamentos

Texto: Elvécio Andrade

Aumento de venda de remédios é problema e não solução
Uma nuvem negra toma aos poucos o céu de Barra de São Francisco/ES e as reclamações se multiplicam. Há um ano e dois meses o município está sem um prefeito, já que a eventual ocupante da prefeitura municipal até o exato momento não começou a administrar e perde o seu tempo com perseguições infantis a adversários e com mentiras na emissora de rádio de sua propriedade.

Um dos principais prejudicados pela falta de uma administração efetiva é o comércio local, que durante a administração de Waldeles Cavalcante experimentou um crescimento tão grande, a ponto de despertar interesse de grandes lojas que para cá vieram. Na atual administração o comércio está capengando e a cada dia afunda mais.

Empresários que para cá vieram na administração passada proporcionando desenvolvimento e geração de empregos, desiludidos com a péssima administração do atual prefeito jogaram a toalha, colocaram a viola no saco e foram cantar em outra freguesia.

Nem os empresários locais, alguns tradicionais, suportaram a administração ruim. Vários sucumbiram à inoperância do executivo local e fecharam suas portas, contribuindo ainda mais para o desemprego generalizado que tomou conta da cidade. Dentre os tradicionais estão a Auto Peças Natalino e O Lajotão. Ambos fecharam suas portas depois de vários anos atendendo bem a população local.

Mesmo diante de tanto fracasso, o atual prefeito - que coleciona em sua lista de perseguições o não pagamento de servidores que atuavam na administração passada, e bloqueio dos recursos enviados pelo governo Federal destinados ao Abrigo de Velhos e à Apae – continua mentindo aos sábados em sua emissora de rádio, tentando passar para a população que o município vive momentos de progresso e tranquilidade.

A única coisa que ele conseguiu foi implantar uma administração cuja marca é a perseguição a adversários, falta de atendimentos aos diversos segmentos municipais, principalmente a saúde, e a mentira semanal na emissora de rádio da família. Com isso conseguiu um fato inédito: ao contrário dos outros administradores que só sofreram desgaste no final do mandato, ele já iniciou a administração desgastado pela sua forma arcaica e rancorosa de administrar, que alguns antigos equiparam à do Joaquim Alves de Souza.

O interior do município que sempre teve atenção especial dos ex-prefeitos está tão abandonado, que em Rio do Campo, no Distrito de Monte Sinai, produtores rurais cansados de esperar que a prefeitura patrolasse as estradas em vão, se uniram e pagaram do próprio bolso as horas de trator.

E o pior é que não existe falta de maquinário. Tanto o governo estadual como o federal enviaram para Barra de São Francisco várias máquinas. O que existe na realidade é pirraça por parte do menino mimado que insiste em brincar de prefeito municipal, prejudicando pessoas sérias que sempre deram tudo pelo município e não merecem ser tratadas dessa forma por uma pessoa que não está preparada para um cargo de tamanha responsabilidade.

O desespero do atual prefeito, que vem se destacando por fazer uma administração estilo Titanic é tanto, que no sábado, 08 de março de 2.014, como sempre faz, despejou pelos microfones de sua emissora uma enxurrada de mentiras, chegando ao ponto de dizer que vários comerciantes lhe confidenciaram que o comércio francisquense está ótimo e caminhando de vento em popa. Mas não é isso que se ouve por aí.

Segundo ele, um dono de farmácia todo eufórico lhe disse que desde sua posse como prefeito, que nunca vendeu tanto remédio como está vendendo agora. Pelo menos uma verdade em um turbilhão de mentiras. Mas o prefeito se esqueceu de dizer que também a clientela das oficinas mecânicas cresceu assustadoramente, pois há mais de um ano que ele não faz nada para melhorar as estradas e ruas do município.

Ao tomar posse sua primeira providência foi acabar com a área de saúde. Deixou de fornecer medicamentos importantes para pacientes carentes, fechou postos de saúde, acabou com fornecimento de exames necessários e qualquer atendimento só se consegue se a pessoa tiver um bilhetinho de alguém ligado a ele. O povo está à míngua na atual administração e pede socorro.

Isso está proporcionando o aparecimento de defensores populares, ocupando espaço que deveria pertencer aos vereadores, que em tese são os representantes do povo, mas que em Barra de São Francisco, com raríssimas e honrosas exceções, estão ao lado do Executivo, fingindo não ver que o povo está sendo pisoteado em seus direitos e massacrado em seus anseios e pretensões.

Quando alguém necessita de atendimento na saúde e não tem acesso aos bilhetinhos da vergonha, só consegue por meio de liminares. O atendimento na área de saúde não mais existe da forma que era antes no município francisquense. É grande o número de pessoas que reclamam e dizem que na administração de Waldeles eram felizes e não sabiam.

Em vista disso, não entendo o motivo da euforia do atual prefeito, pois nada mais normal que se registrar um crescimento acentuado nas vendas de remédios e consertos de veículos danificados por ruas e estradas esburacadas. Isso é o termômetro indicativo de que a atual administração vai de mal a pior. Mas, para o prefeito, isso é motivo de comemoração em sua emissora de rádio.


Que Deus tenha piedade do povo francisquense durante esses anos de trevas que tomam conta do município.

Comentários