A diferença entre um político sério e atuante e um político perseguidor e meia boca

Texto: Elvécio Andrade

Apesar de saber que é até covardia fazer esse tipo de comparação, não resisti e farei uma análise sucinta das atuações do atual prefeito Luciano Pereira (DEM) como deputado estadual por dois mandatos e do conselheiro aposentado Enivaldo dos Anjos (PSD), atualmente ocupando uma cadeira no legislativo estadual.
Enivaldo dos Anjos: destaque pela sua atuação

No caso do Luciano Pereira, os seus dois mandatos passaram em brancas nuvens. Não fez nada de útil para o Estado, não trouxe nenhum benefício para o município e ficou quase oito anos totalmente apagado. Enfim, foi um deputado medíocre, sem qualquer destaque. Um zero à esquerda.

A única coisa que o então deputado Luciano Pereira soube fazer, e bem, foi trabalhar contra seu próprio município. Inclusive chegou a falar na emissora de rádio de sua família pra todo mundo ouvir, que enquanto Waldeles Cavalcante fosse prefeito, nem uma moeda de um centavo seria destinada ao município.

Pelo menos isso ele cumpriu. E não era tão difícil cumprir, pois se quisesse fazer alguma
Luciano Pereira: atuação apagada e improbidade
coisa para o município ele não teria capacidade para isso, já que não tinha nenhum prestígio político. Como sabia que seria sempre um deputado meia boca, usou como estratégia a perseguição política e a forma mais fácil foi trabalhar contra o próprio município e o povo que o elegeu.

Isso sem contar que fez a festa na Assembleia Legislativa, praticando o já manjado ato ilícito de contratar servidores fantasmas, além de praticar “Rachid”. Em virtude dessa atuação criminosa, ele teve mais de R$ 100.000,00 bloqueados pela justiça e responde a um processo por improbidade administrativa que, não se sabe por que cargas d’água, não anda nem a troco de rezas bravas e continua dormindo na gaveta de um juiz qualquer, aguardando uma resposta à sociedade.

Por outro lado, o deputado estadual Enivaldo dos Anjos, como já era de se esperar, vem se destacando cada dia mais até nacionalmente com sua atuação em prol da sociedade, principalmente aqueles que são explorados por tantas máfias espalhadas por esse Estado afora.

Corajoso, ele tornou pública a existência de uma máfia que explorava o guincho em todo Estado e que lesava na maior cara dura os motoristas já tão sofridos com tantos impostos e combustível caro. Teve coragem para presidir uma CPI e enfrentar cara a cara os cabeças dessa máfia, em sua maioria policiais aposentados.

Preside também a CPI do Pó Preto e a CPI da Sonegação. Enfim, tem coragem suficiente para atuar em defesa do povo, defender os anseios da sociedade tão sacrificada e refém de desmandos originados de todas as partes, principalmente – e por que não dizer – com mais ferocidade do poder público.

E tudo isso sem se esquecer do seu município e dos demais municípios do Espírito Santo, já que inúmeros projetos de sua autoria visam melhorias para todas as regiões. Uma atuação voltada para a defesa do Estado, da sociedade e do patrimônio público principalmente.

Uma atuação que orgulha quem ajudou a elegê-lo e que desperta a atenção daqueles que por um motivo ou outro não lhe deram o voto, mas que a partir de agora passam a admirá-lo e reconhecê-lo como um verdadeiro representante do povo, exemplo que deveria ser seguido por todos aqueles que se lançam na vida política e que depois de eleitos se distanciam do povo e passam a defender interesses próprios.

Quanto ao ex-deputado Luciano Pereira, continua na vida política, fazendo suas atrapalhadas homéricas, dando exemplo de como não se deve administrar um município. Em suma, ele segue adiante, fazendo na vida pública o que fazia na privada.

Comentários