Padre que abusou sexualmente de menor diz que foi ato de fraqueza

Padre Enoque disse que foi fraqueza sua
Flagrado abusando sexualmente de uma adolescente de 14 anos em Arceburgo/MG, o padre Enoque Ferreira Donizetti, 62 anos, confirmou a veracidade do vídeo divulgado nas redes sociais à delegada Renata Mattoso Libório que investiga o caso, e disse que foi um “ato de fraqueza” dele.

O vídeo referido pelo padre circulou nas redes sociais e o mostra na cama em cima de uma jovem de 14 anos, que aparece sem blusa, sendo beijada na boca pelo religioso. Acompanhada de peritos e da menor, a delegada esteve no local e confirmou que o vídeo foi gravado dentro da Casa Paroquial.

Em depoimento à delegada, padre Enoque disse que o fato aconteceu em março, quando a vítima tinha ainda 14 anos de idade. O religioso contou, ainda, que dava alguns presentes para a vítima, assim como fazia com várias pessoas da comunidade.

Outra pessoa que também foi abusada pelo padre há oito anos prestou depoimento na sexta-feira, 28. Ela contou que procurou a menor assim que tomou conhecimento do seu vídeo e a incentivou a fazer a denúncia. “Eu me revoltei e falei que agora a justiça tem que ser feita”, disse a mulher.

Ela enfatizou que o padre conhecia a família da menor e sabia que ela era vítima fácil para ele. “Ela era uma vítima inocente, de família toda desestruturada. Ele sabia perfeitamente toda a relação da família e usou isso. Eu me revoltei e decidi apoiá-la contra ele”, completou a mulher.

Os abusos contra a menor começaram quando ela tinha 13 anos. O padre, que já atuou em Monte Santo de Minas e há mais de 20 anos esteve à frente da Paróquia de São João Batista, em Arceburgo, tinha recebido o título de Monsenhor, concedido pelo Papa aos padres mais experientes.

A Diocese de Guaxupé afastou cautelarmente o padre Enoque de suas funções até que os fatos sejam averiguados. Segundo a Diocese, outros padres da região se revezarão nas celebrações, até que um novo padre seja designado para a cidade.



Comentários