Garçom invade Batalhão de Polícia gritando que está cansado de ser pedófilo

Foto ilustrativa
Um indivíduo surpreendeu a polícia ao invadir o BPM no sudoeste de Brasília nesta sexta-feira, gritando que não suportava mais ser pedófilo. Ele simulou o ataque pretendendo ser baleado e morto, mas seu plano não deu certo e acabou sendo contido, conforme informou o capitão Da Silva.

Segundo o militar trata-se de um garçom desempregado, de 27 anos, cuja identidade está sendo mantida em sigilo, que ao ser contido disse que não agüentava mais viver, e que queria pelo menos ser preso. Da Silva conseguiu acalmar o rapaz e o levar até sua residência, na Quadra 6, do Setor Sudoeste.

O capitão contou que ficou chocado com o que viu ao entrar na quitinete do rapaz. “O local parecia um cativeiro sem reféns. Não tinha quase nenhum móvel e havia muita sujeira”, disse o policial, ressaltando que nas paredes do imóvel havia imagens demoníacas.

Disse ainda o policial, que encontrou material pornográfico no computador do garçom e que o rapaz lhe disse que desde os 14 anos guarda fotos e vídeos. “O material estava armazenado em um HD e foi encaminhado à 3ª Delegacia de Polícia, no Cruzeiro”, acrescentou.

Visivelmente assustado com o caso, Da Silva salientou que está na polícia há 12 anos e que nunca presenciou coisa parecida na sua vida. “Confesso que fiquei chocado. Foi uma experiência estranha demais”, enfatizou o capitão ao ser entrevistado.

Na delegacia o garçom praticamente narrou a mesma história contada ao capitão no ato da invasão do Batalhão de Polícia, e afirmou que está desempregado há um ano. Os policiais apuraram que o rapaz já tinha passagem pela polícia por lesão corporal há quatro anos.

Depois de ouvido o garçom foi liberado. Seu advogado explicou que ele tem problemas mentais, negou a existência de material pornográfico no HD, que segundo ele será submetido a uma perícia, e salientou que só depois da instauração do inquérito que irá se manifestar sobre o caso.



Comentários