Policial militar é suspeito de ter assassinado o inspetor penitenciário

Giovani nem viu quem o atingiu na cabeçca
O inspetor penitenciário Giovani Costa, 35 anos, foi morto por volta das 3h da madrugada deste sábado, 05, com um tiro na cabeça no momento em que estava entrando no seu carro, ao sair de um bar no Bairro Alvorada, em Vila Velha/ES. A polícia ainda não sabe a motivação do crime.

A vítima e quatro amigos estavam em um bar e se envolveram em uma discussão. Depois os amigos foram embora e o inspetor decidiu tomar uma saideira. Quando decidiu ir para casa, aconteceu o crime. Giovani morreu na hora e as pessoas do bar disseram que não viram quem fez o disparo.

O veículo da vítima, que já estava em movimento, bateu contra um poste adiante e ficou danificado. Giovani, que morava na Vila Garrido, que além de inspetor era instrutor de tiros na escola penitenciária, era solteiro e cuidava dos pais. Quem o conhecia dizia que Giovani era uma pessoa tranquila, aparentemente sem inimigos.

O carro de Giovani bateu contra o poste 
De acordo com nota divulgada pela Polícia Civil hoje à noite, a Corregedoria da Polícia Militar suspeita da participação de um policial militar no assassinato do inspetor penitenciário, e que demais informações sobre o crime não serão repassadas à imprensa para não atrapalhar as investigações.



Comentários