Marido mata mulher grávida dois dias antes de ela ter o filho em parto programado

Adilson matou Daiane por causa de mensagens de Whatsapp
Ciúmes. Esse foi o motivo do assassinato da jovem Daiane Reis Mota, 25 anos, grávida de oito meses, que foi enterrada na manhã desta segunda-feira, 18, no Cemitério Jardim das Acácias, no Bairro Cidade Nova, em Serrinha, na Bahia. O assassino foi seu marido Adilson Prado Lima Júnior, 25 anos.

O corpo da vítima foi encontrado por ciclistas que faziam trilhas no domingo, 17, por volta das 08h30m no Povoado de Murici. Eles chamaram a polícia, que reconheceu Daiane, pois havia uma ocorrência de desaparecimento dela desde sábado, 15, registrada pelo próprio marido.

Ao ser preso, Adilson confessou o crime e afirmou que matou a mulher porque encontrou mensagens de outro homem no celular dela por meio do aplicativo Whatsapp. Ele afirmou que ficou com suspeita de que o filho, que estava programado para nascer nesta segunda-feira, não fosse dele.
 
Povo revoltado no enterro de Daiane
Ele disse que matou a mulher com um tiro na nuca na tarde de sábado, depois de chama-la para comprar um terreno. A princípio ele registrou o desaparecimento da vítima, mas depois confessou o crime. A polícia confirmou que o parto de Daiane estava marcado para segunda-feira, 18.

Adilson contou, ainda, que saiu com a vítima de casa no carro do irmão dela. “Eu a levei dizendo que ia comprar um terreno. Quando ela caminhava na minha frente, atirei nela e depois queria me matar, mas não consegui”, disse Adilson ao delegado Hildebrando Silva, que preside as investigações.

Depois do crime Adilson Júnior voltou para casa e à noite disse à família da jovem que ela estava desaparecida depois de tê-la deixado em uma loja para fazer compras. O criminoso disse também que escondeu o celular de Daiane para dificultar a localização do corpo.


Comentários