Tiro no escuro. Prisão de traficante ajuda polícia elucidar crime misterioso

Dione dedurou Jéssica ao ser preso
A prisão de um traficante de drogas ocorrida na segunda-feira, 22, foi crucial para que a polícia descobrisse a autoria do homicídio que vitimou Neiva Paula Mendonça dos Santos. O crime estava envolto pelo mistério, haja vista que ela não tinha inimigos e era uma dona de casa dedicada, que pouco saía.

O preso em questão trata-se de Dione da Silva Brito, 23 anos, preso por tráfico de drogas e porte ilegal de armas. Durante o depoimento, além de assumir os crimes pelos quais foi preso, confessou que tinha matado Neiva, apontando como mandante Jéssica de Lima Silva, 23 anos.

Ele disse aos policiais que estava numa Boca de Fumo no Bairro Mataruna, em Araruama, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, quando foi abordado por Jéssica, que o contratou para matar a mulher do seu amante. Pela empreitada Jéssica pagou R$ 1 mil e uma TV de 42 polegadas

Imediatamente os policiais partiram no encalço de Jéssica, mas só conseguiram localizá-la e prendê-la na terça-feira, 23. Ela foi levada para a 118ª DP de Araruama, onde confessou que uma prima sua sugeriu que se ela matasse a mulher do amante, ficaria livre do único empecilho.

Ela contou, ainda em seu depoimento, que resolveu se livrar da rival quando seu amante, cujo nome não foi divulgado, decidiu terminar tudo e voltar para a família. Desesperada procurou apoio da prima, que acabou a convencendo de que ficar livre de Neiva seria a única forma de ficar com o amante.



Comentários