Marido cruel mata mulher na porta da residência do casal e câmera filma tudo

Câmera flagra momento que o criminoso matou a mulher a tiros
Foi preso na madrugada desta segunda-feira, 17, Calcivo Deusdete de Freitas, 61 anos, que na noite de domingo, 16, matou a mulher dele, Elaine Figueiredo Lacerda, 61 anos, com vários tiros na porta da casa do casal, que fica no Bairro Todos Santos, em Montes Claros/MG.

Ele foi preso na localidade de Inhaúma, na zona rural de São João da lagoa e não resistiu à prisão e foi levado para a Delegacia de Polícia para as providências cabíveis. Segundo vizinhos, o casal vivia em constantes desavenças e estava em processo de separação.

O crime foi registrado por uma câmera de segurança e mostra o momento em que Calcivo foi até um Siena preto, pegou uma arma no porta-malas, chamou Elaine ao portão de entrada e quando ela apareceu, disparou várias vezes contra ela. Um dos disparos atingiu a cabeça da vítima.


O portão apresenta as marcas dos disparos
Profissionais do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) tentaram reanimar Elaine, mas ela morreu no local e seu corpo foi levado pra o IML (Instituto Médico Legal) e depois liberado à família para sepultamento. O portão da casa apresenta várias marcas de tiros.

Dono de um laboratório de prótese dentária na cidade onde trabalhava com a mulher, Calcivo e Elaine chegaram a casa na noite de domingo e ficaram por 20 minutos conversando no interior da residência. Depois ele saiu, tirou o carro da garagem e deixou o portão aberto.

Vítima de agressões, Elaine chegou a sair de casa no dia em que apanhou além da conta, mas acabou cedendo aos apelos do marido, que prometeu não mais ser violento e voltou para casa. A informação é de uma vizinha amiga do casal, cujo nome pediu para não divulgar.

O sobrinho de Elaine, um estudante de 25 anos que estava dentro da casa, testemunhou o crime e contou para a polícia que chegou a gritar com Calcivo “para não fazer aquilo”, mas o criminoso respondeu ameaçador ao sobrinho dizendo: “Vaza senão eu te mato”.




Comentários