Rebelião. Revoltados por comer frango todo dia presos depredam bloco carcerário

A quentinha servida aos presos

Um quiproquó dos diabos envolvendo cerca de 30 presos do Centro de Recuperação Regional de Tomé-Açu/PA na quinta-feira, 25, culminou com a depredação de parte do bloco carcerário. A revolta ocorreu porque os presos não queriam mais comer frango nas refeições.

A Susipe (Superintendência do Sistema Penitenciário) do Pará informou que a alimentação dos presos é terceirizada e segue um rigoroso controle de qualidade no planejamento e preparo dos alimentos. O cardápio é variado e supervisionado por uma equipe de nutricionistas do órgão.

Até a porta da cela foi arrancada pelos presos enfurecidos
Destaca ainda, os responsáveis pelo órgão, que no controle de proteínas a exigência é de que carne bovina e peixe sejam servidos duas vezes por semana, e carne de frango três. A quantidade servida é padronizada, e cada marmita deve totalizar de 550 a 600 gramas por refeição.

O tumulto foi controlado pelo Grupo Tático Operacional da PM, que usou agentes químicos e munição não letal para conter os presos. A situação foi controlada e os presos que participaram serão indiciados por danos ao patrimônio, além de cumprir medida disciplinar por 10 dias.




Comentários