Tenente-coronel morre crivado de balas dentro de carro na saída de sua fazenda

Local onde o tenente-coronel tombou crivado de balas

A polícia ainda não conseguiu descobrir quem foi o autor dos disparos que tiraram a vida do tenente-coronel reformado da Polícia Militar, Valdir Copetti Neves, que na tarde de segunda-feira, 28, foi encontrado morto a tiros na zona rural de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná.

O corpo do oficial estava dentro do carro numa estrada próximo a sua fazenda e tinha marcas de tiros. A polícia disse que ele recebeu seis tiros de calibre 12 e oito tiros de ponto 40 na cabeça. A polícia trabalha com a hipótese de execução por parte de organizações criminosas.

Valdir copetti tinha condenação por tráfico internacional de armas
Inimigo número um do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) durante anos no Paraná, o tenente-coronel em 2009 foi condenado a 18 anos e oito meses de prisão e à perda do cargo pelos crimes de tráfico internacional de armas e formação de quadrilha.

Valdir, que chegou a ficar um tempo preso, foi também denunciado pelo MPF do Paraná por formação de milícias armadas para proteção ilegal de fazendeiros contra invasões de sem terras. O tenente-coronel inclusive foi ouvido pela CPI do Tráfico de Armas em 2005.

O corpo do tenente-coronel foi recolhido ao IML (Instituto Médico Legal|) de Ponta Grossa, onde foi periciado e liberado aos familiares para sepultamento ocorrido na tarde de terça-feira, 29. A Polícia Civil está investigando o caso, mas até não se tem pistas do autor ou autores do crime.


     

Comentários