Homem é morto na entrada da fazenda onde trabalhava depois de ganhar no bingo

Gylson Correia foi morto por engano

Deverá se apresentar à polícia nesta quinta-feira, 16, o indivíduo Antônio Ferreira de Souza, 68 anos, que matou a tiros Gylson Culca Correia, 44 anos, quando ele chegava na fazenda do tio de um amigo, onde deixaria uma novilha que havia acabado de ganhar como prêmio de um bingo do qual participara.

Gylson Correia havia participado de um bingo na região de Várzea Grande/MT. Ao ser premiado, ele decidiu levar a novilha para a fazenda onde trabalhava, uma vez que não tinha onde colocar o animal. Ao chegar na fazenda, ele foi baleado na cabeça por Antônio Ferreira, que é irmão da proprietária do local.

O crime ocorreu no sábado, 11, e a vítima ficou caída na entrada da fazenda. Antônio alega que atirou porque pensou se tratar de bandidos, mas para a delegada Eliane Moraes essa história não cola, “pois mesmo que tivesse atirado pensando que se tratava de ladrão, ele assumiu o risco de matar quem estava lá”.

Segundo a polícia, Gylson Correia, que era funcionário da fazenda, no sábado foi ao bingo com Pedro Paulo, sobrinho do assassino. Ao ganhar o prêmio ele contratou um caminhão para levar o animal para a fazenda, mas ao chegar no local, foi morto logo após abrir porteira para o caminhão entrar de ré com o animal.

Informa ainda a polícia, que ao ouvir o barulho, Antônio Ferreira saiu da casa com a arma na mão abrindo fogo para todos os lados sem sequer procurar saber o que estava acontecendo, e um dos disparos atingiu a vítima. Para o delegado de Antônio, “o que aconteceu foi uma fatalidade, um ato infeliz”.

As investigações estão a cargo da delegada Eliane Moraes, que já ouviu várias pessoas, mas o depoimento mais esperado é o de Antônio Ferreira, que prometeu se apresentar na quinta-feira, 16. O corpo de Gylson foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) da região e depois de periciado liberado aos familiares.








Comentários